Ir para conteúdo

"Mas eu não sou do Direito" - Graduação de Direito x Concursos Públicos.


Vinícius Renato

397 visualizações

 Share

Olá, amigos e amigas concurseiros(as). Hoje vim trazer um pouco da questão da faculdade de Direito x Concursos. É um tópico que pouco vi na internet, e acho interessante e válido de comentar. 

Primeiramente, eu curso Direito numa Universidade Federal e já estou terminando (se Deus quiser rs). E também estudo para Concursos tem um tempinho. Convivendo diretamente com as duas faces da moeda, quero trazer alguns pontos aos meus colegas concurseiros que, em sua maioria, não são do Direito. E nem pensam nos concursos da área jurídica propriamente dita (Magistratura, MP, DP etc) porque aí o buraco já é mais embaixo rs. 

Vou resumir bastante. Vamos lá.

 

1) Ser do Direito não é uma vantagem imediata

Pois é. Logo de cara. Isso porque a faculdade não é voltada para te preparar para concursos e afins, mas sim para ensinar ao aluno toda a questão da hermenêutica, enxergar teses (de defesa ou acusação, por ex.) etc. Curioso porque são os operadores do Direito que criam as súmulas, entendimentos e interpretações legais. E para chegar até isso, o pessoal teve que quebrar muito a cabeça. Grupos dos mais diversos especialistas com décadas de experiência sentam e debatem sobre isso.

Nós (acadêmicos) temos um contato massivo e direito com as tais Doutrinas (é a partir delas que nascem síntese maravilhosa que o prof. de cursinho faz). E não apenas para responder à uma questão objetiva de prova, mas sim para discutir, formular uma defesa, preparar modelos de petições e recursos e enfrentar os juízes numa sustentação oral, por exemplo.

E isso não se estuda para fins de concurso - realidade que é bem mais 8 ou 80. Ou você sabe, ou erra. 

 

2) O estudo voltado para provas

Como eu disse, a graduação tem uma ementa voltada para a formação jurídica do aluno, e não realizar provas de concurso. Minto. A graduação no Brasil tem olho para uma prova em específico: a OAB. Esse é o máximo que a faculdade vai se voltar, em termos de provas. Isso porque, a grossíssimo modo, se muitos alunos forem aprovados no Exame de Ordem, a qualificação da faculdade melhora etc.  

E existe um mundo de diferença entre as provas da OAB e Concursos. E logar êxito numa delas não significa estar, sequer, apto para ir bem noutra.

  • Experimento: Coloquem um advogado experiente para responder á uma prova da FCC, do nada. Pois bem, agora coloquem o candidato que ficou 1º lugar no concurso de algum TRF - que não seja da área do Direito - para fazer um simples modelo de apelação (matéria que ele estudou muito, para a prova). Em ambos os casos, o resultado seria catastrófico rs.

 

3) A prática muitas vezes não ajuda a acertar questões 

Em matéria penal isso acontece de monte. O que as Doutrinas ensinam (de modo controverso) e o que ocorre no plano dos fatos, muitas vezes está LONGE do que consta no texto da lei e em entendimentos jurisprudenciais consolidados. Eu mesmo já errei incontáveis questões por conta disso, pela minha experiência em estágios (advocacia e gabinete de juiz).

Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.

 

4) Menos desculpas e mais atitude

Recentemente, o Diogo disse que a maioria dos Auditores Fiscais da Receita Federal são formados em Engenharia. Oras, excelente estatística! Cada vez mais, os graduados não exercem a profissão respectiva à sua formação. E muitos dessem optam pelo ingresso no serviço público (isso tem de monte, é só observar) E são ótimos servidores e foram, um dia, exímios estudantes e concurseiros. 

Ser do Direito não me coloca à frente de você, necessariamente. Talvez num primeiro momento, quando nós dois começávamos a estudar para concurso. Mas depois que engatamos, essa "vantagem" vai ficando mais e mais tímida. 

Talvez eu tenha mais facilidade para estudar alguma matéria de Direito, já posso consultar meus resumos da faculdade, lembrar das aulas e/ou já cair direto na parte da lei seca (o que, para muitos, é a coisa mais abstrata que existe na Terra rs). Mas a nossa jornada de concurseiro(a) não é feita só disso. Cada com suas dificuldades e facilidades.

São estudos muito diferentes e, acreditem, conciliar os dois não é fácil como parece. A pegada e o foco são outros, totalmente. E já me ferrei na faculdade por tentar ir contra isso rs.

 

Espero que eu tenha conseguido passar a mensagem. Abraços! 

 

 

  • Curtir 13
  • Obrigado! 1
 Share

4 Comentários


Comentários Recomendados

Thales Wottrich

Postado (editado)

Muito bacana! Tinha curiosidade de entender esse contraponto entre curso de direito x estudo para concursos. 

Talvez a principal vantagem de ser formado em direito é o leque de opções que se abrem. Com o diploma você pode tentar área jurídica, conforme você mencionou, além de AJAJ em Tribunais Federais e TJs, bem como alguns TCEs que exigem formação em direito, sem contar os concursos para qualquer nível superior, como Receita e TCU.  Não sei se há outra formação de nível superior que te dê tantas possibilidades nesse sentido.

Editado por Thales Wottrich
  • Curtir 3
Link para o comentário
Vinícius Renato

Postado

17 horas atrás, Thales Wottrich disse:

Muito bacana! Tinha curiosidade de entender esse contraponto entre curso de direito x estudo para concursos. 

Talvez a principal vantagem de ser formado em direito é o leque de opções que se abrem. Com o diploma você pode tentar área jurídica, conforme você mencionou, além de AJAJ em Tribunais Federais e TJs, bem como alguns TCEs que exigem formação em direito, sem contar os concursos para qualquer nível superior, como Receita e TCU.  Não sei se há outra formação de nível superior que te dê tantas possibilidades nesse sentido.

Opa!

Sim, exatamente! Inclusive, é um dos principais atrativos para quem vai começar o curso, essa questão de "abrir leques". Via de regra, todo órgão público oferece algum cargo apenas para os bacharéis em Direito, por exemplo. 

Fora a iniciativa privada também, diversos rumos da advocacia, assessoria etc. 

  • Curtir 2
Link para o comentário
Flávia Vidal

Postado

Sou formada em Direito também, e isso não torna a minha jornada mais fácil. Até porque nunca atuei na área, minha experiência profissional sempre foi como Administradora.

O diferencial mesmo é estudar com comprometimento, não importa a formação (o Prof! que o diga).😉

"Pessoas que são boas em arranjar desculpas raramente são boas em qualquer outra coisa"

Benjamin Franklin.

 

  • Curtir 4
Link para o comentário
Vinícius Renato

Postado (editado)

Curioso... conversava hoje meu colega de curso, ele tá bastante focado na elaboração de artigos jurídicos voltados para a publicação em revistas etc. 

Eu fui ver o projeto do meu amigo, e notei logo de cara o tanto de coisa que ele vai ter de ler e estudar para isso. População carcerária x Processo Penal x Juiz das Garantias etc. Tema quente e novo. 

Engraçado porque não tem quase nada de letra de lei, ele tá focando bem mais em estatística e doutrina (tem que ter aquela clássica viajada na maionese rsrs). Bem diferente de concursos. 

Mais uma vez, né. Os estudos são OUTROS. Claro que vai ter prova objetiva (com questões de concurso, talvez). Mas isso é apenas uma parte do curso. E outra, passou a prova, nunca mais toca na matéria (mal de universitário rsrs).

 

Editado por Vinícius Renato
  • Curtir 1
Link para o comentário

Faça login para comentar

Você vai ser capaz de deixar um comentário após fazer o login



Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...